Como proteger a sua relação lésbica

Duas mulheres sentadas a ver desfile lésbico

Num mundo em que as relações são cada vez menos duradouras e onde as tentações e os obstáculos são mais abundantes, é necessário saber proteger o que a une à sua companheira. Saiba como proteger a sua relação lésbica e viva a sua paixão sem proibições e complexos.

Mantenha o foco

Uma excelente maneira para proteger a sua relação lésbica será mantendo-se focada naquilo que de facto quer, e na pessoa de quem de facto gosta. Quando deixamos a imaginação pregar-nos partidas corremos o risco de nos desviarmos do verdadeiro sentido da relação e essa é uma porta entreaberta para o enfraquecimento de qualquer romance.

Se você está certa de que aquela é a pessoa que você quer e deseja, então concentre-se nisso, e proteja a sua relação de perturbações exteriores mantendo uma postura madura e responsável.

Não se esconda, mas não viva em permanente festival

Proteger uma relação não é tentar que ela permaneça ignorada ou impercetível. Não há nada a esconder, nem a dissimular numa relação lésbica, como não o há em nenhuma outra relação mantida entre adultos responsáveis.

Se lhe apetecer dar um beijo, dê. Se lhe apetecer caminhar de mãos dadas, caminhe. Mas será mesmo preciso passar todos os 50 minutos de viagem de comboio aos abraços e apalpões com a sua parceira? São atitudes exageradas como esta que chamam a atenção das outras pessoas de forma negativa, e não o facto de você ter uma relação lésbica.

Mas não se preocupe, caso se tratasse de um casal homem-mulher a reação das pessoas seria exatamente idêntica. A verdade é que ninguém gosta de se sentir chocado, nem forçado a assistir a demonstrações exageradas de paixão. Proteger uma relação lésbica é também não se colocar em posições facilmente criticáveis.

Seja verdadeira com os seus amigos

Uma das maiores dificuldades que as lésbicas têm quando desejam proteger uma relação, é a dúvida sobre se contam às pessoas mais próximas que estão com outra mulher.

A melhor forma de agir é ser sempre verdadeira. Se as pessoas forem de facto suas amigas, perceberão e ficarão felizes com a sua felicidade. Amigos a sério não se importam com quem outros amigos vão para a cama, a não ser que os vejam tristes e maltratados. Se as pessoas a quem você contar sobre a sua relação lésbica se escandalizarem, ou se afastarem de si, então sinta-se aliviada pois acaba de se livrar de um punhado de oportunistas preconceituosos que certamente não nutriam estima pela sua pessoa.

A melhor forma de proteger uma relação lésbica é admitindo naturalmente que ela existe, tal como todas as outras pessoas apaixonadas costumam fazer.

Se achar que não deve contar, não conte

Tão simples quanto isso: você não tem de contar a ninguém sobre a sua relação lésbica se entender que não o quer fazer. A sua relação não é da conta de ninguém, excetuando a si mesma, e à sua parceira.

Sempre que por qualquer razão lhe pareça preferível manter-se calada sobre a relação que tem, então fique calada. A vida particular de cada um só é para ser partilhada quando a pessoa assim o entende, e caso lhe apeteça fazê-lo.

Não se cale por vergonha, ou por medo das reações alheias. Mas cale-se se lhe der na real gana de ficar calada, ou se lhe parecer que existe conveniência para si em manter a relação lésbica a recato de algumas pessoas.

Não vale a pena combater em todas as guerras

Não saia por aí defendendo a sua relação lésbica contra o preconceito de todas as pessoas ignorantes com quem se deparar. Não vale a pena o esforço.

Proteja a sua relação só a expondo em situações normais. Não queira ser a justiceira que muda a mentalidade do mundo, porque isso não irá acontecer. Além disso, o que lhe pode interessar a si a opinião de todas as outras pessoas com quem se cruza? A maioria da multidão é composta por seres humanos que nunca mais voltará a ver na sua vida, e com os quais não tem a mínima obrigação de estabelecer contactos, ou cimentar amizades e simpatias. Que pensem o que bem quiserem e que vão para longe com os seus preconceitos obsoletos.

Não gaste as suas energias tentando convencer a sociedade da justeza das opiniões e valores que você defende, até porque o mundo não é um lugar justo.

O mundo não é um lugar justo

Se estivéssemos num mundo mais justo, certamente você não teria que se preocupar tanto em proteger a sua relação lésbica, não é verdade? Pois bem, mas não estamos num mundo justo. Este mundo não é um lugar justo e você tem que se mentalizar dessa verdade. Embora cada um de nós possa dar o seu pequeno contributo para ajudar a melhorar a sociedade em que vivemos, não está na nossa mão sanar as injustiças globais. Por isso não se aflija.

Proteja a sua relação lésbica mas faça-o ciente de que muitas vezes se irá defrontar com maldade, ignorância e cinismo. Não há o que espantar. É assim mesmo que o mundo é.

Rodeie-se de pessoas que realmente valham a pena

Sabe que uma boa medida para proteger a sua relação lésbica é rodeando-se de pessoas que valham a pena? Pessoas de mente aberta, de coração sincero, de ideias descomplicadas são o género de pessoas de quem você se deve procurar cercar.

Não caia na tentação fácil de se isolar numa comunidade lésbica para conhecer outras lésbicas ou bissexuais. Ostracizar-se dentro de um grupo restrito é limitar-se a si mesma. Saia da sua zona de conforto e aceite as dificuldades, com a mesma naturalidade com que recebe as cosas boas da vida. Atraia pessoas de bem e seja feliz no meio delas, não importando os seus gostos e tendências.

Proteger uma relação lésbica não é no fundo muito diferente do que proteger qualquer outro tipo de relação amorosa. Quanto mais o mundo avança mais fácil se vai tornando, felizmente, sobreviver num mundo pleno de diferenças e de contradições deliciosas.

As relações lésbicas enfrentam dificuldades, ameaças e tentações tal como todas as outras relações, mas depende de cada lésbica o fazer com que a sua relação seja especial, não por ser lésbica, mas por ser maravilhosa.